Artigos Equipamentos e Acessórios Industrial Metalurgia Notícias

Implantação de Placas Adaptativas de Solda

Leia o artigo de Thiago Cruz sobre a implantação de placas adaptativas de solda.

O processo de Solda Ponto por Resistência (SPR) é vastamente utilizado na indústria automobilística e possui alguns desperdícios técnicos que podem gerar custos demasiados para as empresas. A automação e utilização de robôs nesse processo trouxe maior produtividade, controle do processo e consequentemente uma melhora na qualidade. Existem diversos controladores para realizar o monitoramento dos principais parâmetros de soldagem, como corrente elétrica, tempo de aplicação de corrente e força de fechamento dos eletrodos. Os desafios das pesquisas atuais concentram esforços na leitura e adaptação dos parâmetros de solda enquanto o processo ocorre, a fim de se obter uma solda com constante qualidade e menor custo. O mercado oferece um produto de adaptação de parâmetros de soldagem denominado Placa Adaptativa de Solda, que realiza o monitoramento, medição e edição em tempo real, dos melhores parâmetros a serem utilizados a cada ponto de solda, respeitando um valor nominal inicialmente programado e um limite de variação, não sendo mais necessário assim, utilizar parâmetros superdimensionados para realização da soldagem. A placa adaptativa propõe melhor qualidade e redução de desperdícios do processo, o que pode ficar evidenciado com a realização de ensaios comparativos, realizados diretamente em seu campo de aplicação. Neste trabalho foram realizadas medições em um robô de solda da fábrica de carrocerias da Renault do Brasil, empresa que apresentou interesse e aporte financeiro para investir nessa tecnologia. Foram realizados ensaios comparativos de produção sem e com a utilização da placa adaptativa no processo de solda. Os ensaios foram baseados na medição do consumo de energia elétrica medidos em Quilowatt-hora (kWh) e mostraram que a utilização da placa adaptativa de solda propicia uma redução de cerca de 11,3% no consumo de energia, resultando em retorno financeiro para a empresa, pois a energia elétrica é o maior custo do processo de soldagem, além de propiciar também um ganho de qualidade pela eliminação da propagação das centelhas de solda provenientes dos parâmetros excessivos.

Para fazer o download e continuar lendo o artigo informe seu nome e email no formulário abaixo.

    SHARE
    RELATED POSTS
    Robotmaster participa da XXXI Semana da Escola de Engenharia da Universidade Presbiteriana Mackenzie
    Live Abendi – O Desenvolvimento de Usinas Solares Como Fonte Alternativa de Energia no Brasil
    Quer ganhar um kit de produtos HVAC-R da Harris?

    Deixe seu comentário

    *