Dicas

Leia! Levantamento de dados durante a Soldagem

Leia o excelente texto do ex aluno do curso de pós graduação em soldagem do Senai – Osasco, Alex Sandro Fausto dos Santos sobre um estudo de caso que ocorreu na empresa onde trabalha.

…”Em um setor de produção, sabemos que o tempo “vale ouro”, pois os indicadores de produção são metas que devem ser atingidas para que os prazos determinados possam ser cumpridos. Sabemos, também, que imprevistos acontecem, sejam eles na parte mecânica, como a quebra de um equipamento, ou por parte humana, como o absenteísmo de funcionários, por exemplo, além de outros exemplos que podem ser 

citados. Mas, considerando uma situação “normal” de produção, ou seja, sem imprevistos, é de suma importância que os gestores tenham pleno conhecimento das perdas que podem estar acontecendo durante o processo produtivo. Em uma análise feita em um box de soldagem, que não estava atingindo a eficiência programada, foram levantados dados, tendo como base o resultado de uma cronoanálise feita durante as operações de montagem e soldagem. O objetivo foi identificar os gargalos existentes nesse box, especificamente, traçar um plano de melhoria e migrar as ações de melhoria para os demais boxes de soldagem.

Com os resultados dos tempos levantados, verificou-se as perdas que estavam acontecendo durante o processo, conforme mostrado no gráfico abaixo:

O processo de soldagem utilizado na fabricação desse item foi o processo MAG. Analisando os dados, temos um tempo de arco aberto de 17,5 minutos. Isso é necessário para atender o layout de soldagem estabelecido no desenho do conjunto. Já as operações de extração do item, movimentação do operador ou montagem podem ser otimizadas e gerar um ganho de produtividade. O objetivo deste texto é apenas levantar a importância de se fazer uma avaliação sobre o que pode estar “travando” o processo produtivo, bem como o que podemos fazer para melhorá-lo. Para isso, é preciso ter em mãos dados que mostram quais pontos devemos atacar primeiro. Como exemplo, podemos citar a operação de “movimentação do operador”. Além disso, podemos listar, dentre várias, algumas alternativas de melhorias que podem ser aplicadas, claro, considerando a realidade de cada processo produtivo, recursos etc. 

o Abastecimento de materiais, verificação das prateleiras, se estão sendo abastecidas corretamente, na quantidade e na hora certa. 

o Analisar se todas as prateleiras estão próximas ao posto de trabalho. Se possível, opte por prateleiras e bancadas móveis.

o Se todas as informações, como desenhos e instruções de trabalho estão disponíveis para o soldador.

o Caso sejam peças consideradas grandes, verificar se as bancadas estão próximas de braços mecânicos, pontes rolantes ou acesso a empilhadeiras.

O gráfico abaixo mostra um total de 66% do tempo de fabricação deste item, que pode ser trabalhado visando um aumento de produtividade e, conseqüentemente, a diminuição de perdas durante o processo de fabricação. Como já citado anteriormente, o tempo de arco aberto está relacionado à quantidade de solda solicitada no projeto. Considerando que estejam corretas, as oportunidades de melhorias estão entre as operações que fazem parte do processo de fabricação, como a extração do item, a movimentação do operador e a montagem. Contudo, em um processo, também devemos nos atentar a outros pontos, tais como: revisão do layout do setor ou do box de soldagem, utilização de ferramentas corretas, revisão da metodologia do trabalho, informação, entrada de materiais, considerando as diversas variáveis que se aplicam à realidade de cada processo.

E você, já pensou em fazer um estudo sobre as perdas que podem estar acontecendo em seu processo de fabricação???”

SHARE
RELATED POSTS
Variáveis de soldagem de acordo com ASME IX
Mecânica Nordeste – Faltam menos de 15 dias
4° Semana Tecnológica de Metalurgia

Deixe seu comentário

*