Imprimir

Processo oxicombustível - Equipamentos

Escrito por Infosolda. Posted in Processos

O equipamento para soldagem oxicombustível é composto de cilindros de oxigênio e acetileno, maçaricos e acessórios e componentes, como válvulas de redução, limitadores de pressão, válvulas anti-retrocesso, interceptores e canalizações de distribuição.

 

maçarico

O maçarico é o aparelho onde são misturados os gases responsáveis pelos diversos tipos de chamas necessárias ao processo de soldagem, isto é, a chama neutra, a redutora, e a oxidante e/ou de corte.

O bom resultado de uma soldagem feita pelo processo oxi-acetilênico depende muito do maçarico e de sua regulagem.

A principal característica de um bom maçarico é descarregar uma mistura cuidadosamente dosada dos dois gases, de modo que a quantidade somada de gases resultantes e misturados esteja de acordo com o tipo de chama desejada. Deve também ser leve e de construção balanceada, a fim de não cansar a mão do soldador, quando em trabalho. Ao mesmo tempo, o bico deve ser feito de material adequado para conduzir e dirigir uma chama de alta temperatura durante todo o tempo do trabalho, sem que o equipamento apresente desgaste excessivo.

O maçarico deve ser provido de controles manuais colocados no próprio cabo, ao alcance da mão do operador, para permitir, impedir e ao mesmo tempo regular a passagem dos gases necessários a produção da chama correta.

Quanto ao serviço, os maçaricos podem ser classificados em maçarico de soldagem ou de corte; quanto ao modo de funcionamento, podem ser maçarico de baixa, média ou alta pressão.

maçarico de baixa pressão

O maçarico de baixa pressão é utilizado nos casos em que o oxigênio é fornecido sob pressão elevada e o acetileno sob pressão baixa.

maçarico de média pressão

O maçarico de média pressão é utilizado nos casos em que o oxigênio é fornecido sob pressão elevada e o acetileno sob pressão média. A pressão pode variar de 0,07Kg/cm2 (1 lb/pol2) a 2Kg/cm2 (±30lb/pol2). Seu funcionamento difere um pouco do maçarico tipo injetor. Quando a pressão dos dois gases é a mesma, este maçarico toma o nome de maçarico de pressão balanceada.

maçarico de alta pressão

O maçarico de alta pressão é utilizado nos casos em que tanto o oxigênio como o acetileno são fornecidos sob pressões elevadas, ou seja, acima de 2Kg/cm2 (±30 lb/pol2). Os dois gases, devido à alta pressão com que são supridos, podem ser misturados simplesmente num compartimento chamado câmara de mistura.

válvula

A válvula é composta de: corpo, membrana de borracha, mola de regulagem, mola do obturador, parafuso de regulagem ou canopla, obturador, sede do obturador, conexão de entrada, que é normalizada em função do gás a ser utilizado (no caso de gases neutros ou combustíveis, esta rosca é à direita), conexão de saída, manômetro de alta e baixa pressão ligados às respectivas câmaras (em certos tipos de válvulas não há manômetro de alta pressão) e um dispositivo de segurança que coloca a câmara de baixa pressão em comunicação com o ar livre, quando a pressão na câmara ultrapassar um valor pré- fixado.

A válvula deve ser manipulada com cuidado, devido a sua sensibilidade aos choques. Antes de montar a válvula sobre o cilindro de gás, deve-se abri-la e fechá-la rapidamente, para saída de gás. Este procedimento ajuda a eliminar qualquer impureza que possa estar na rosca e danificá-la.

Entre outros critérios, as válvulas podem ser classificadas de acordo com a sua pressão de saída. A pressão máxima de saída pode ser calculada como sendo 2/3 do máximo indicado no manômetro de baixa pressão. Os limites para classificação são: baixa pressão, até uma centena de gramas na saída; média pressão, até 16Kg/cm2 e alta pressão, acima de 16Kg/cm2.

nunca se deve usar uma válvula de gás combustível para gás comburente ou vice-versa

A válvula de redução é utilizada para diminuir a pressão de um gás até um valor chamado valor de trabalho e que deve permanecer constante; é aceitável apenas uma variação mínima. 0 tipo mais utilizado de válvula de redução possui um obturador colocado na câmara de alta pressão.

A válvula anti-retrocesso é colocada em canalizações para impedir a propagação de ondas explosivas. Esta válvula tem um corpo preenchido por matéria granulada ou filtro de metal sinterizado. A passagem se dá somente em um sentido; quando ocorre retrocesso, ocorre bloqueio da onda de choque.

limitadores de pressão

Os limitadores de pressão são aparelhos que, ultrapassada uma pressão determinada, dão passagem para o gás rumo ao exterior. Têm construção semelhante à de uma válvula de segurança; são constituídos de uma membrana e uma mola. Quando a pressão para a qual a mola está calibrada é ultrapassada, a mola cede e o gás flui para o exterior até que a pressão caia para um valor abaixo do valor crítico. Existe também outro tipo de limitador que é feito de metal ou carbono. Quando a pressão é ultrapassada, os discos rompem-se, dando vazão ao gás.

Os interceptores são dispositivos que permitem a passagem de gás somente em um sentido. São utilizados para impedir a passagem de oxigênio para a linha de acetileno.

canalizações de distribuição

As canalizações de distribuição dos gases dividem- -se em dois tipos: rígidas e flexíveis. Nas canalizações rígidas para acetileno, devem ser utilizadas tubulações de aço preto ou galvanizado; nunca de cobre, pois este, sob certas condições, pode formar com o acetileno um composto explosivo, o acetato de cobre. Já no caso da tubulação do oxigênio, recomenda-se utilizar o cobre em pressões maiores que 10Kg/cm2. Nas pressões inferiores a este valor, também podem ser utilizados os aços preto ou galvanizado.

As emendas das canalizações devem ser brasadas, se forem de latão ou cobre, soldobrasadas se forem de aço galvanizado e soldadas quando de aço carbono. Nestas uniões, deve-se tomar especial cuidado com o excesso de penetração que poderá causar perda de carga.

Na instalação das canalizações, o limite na execução das curvas deve sempre ser respeitado. As curvas devem ter no mínimo cinco vezes o diâmetro da tubulação e, sempre que possível, devem ser instaladas em circuito fechado. A instalação deve ter válvulas de fechamento rápido em pontos-chave do circuito, bem como uma válvula de fechamento normal antes de cada equipamento.

As canalizações deverão ser pintadas com as cores padrão e seu dimensionamento deve ser calculado da maneira adequada, pois uma tubulação subdimensionada pode não atender à demanda a que é solicitada, e uma tubulação superdimensionada pode ter perdas de carga desnecessárias.

As canalizações flexíveis devem ser feitas de borracha reforçada por fios de náilon. Devem estar rigidamente fixadas por abraçadeiras aos maçaricos e válvulas, de modo a evitar vazamentos. Devem ser compatíveis com o gás e não pode haver troca na aplicação.

 Link Relacionado:

Soldagem – Coleção tecnológica SENAI – 1ª ed. 1997