Imprimir

Aplicações dos tratamentos térmicos - ligas não ferrosas

Escrito por Infosolda. Posted in Metalurgia

ligas de níquel

Na maioria das ligas de níquel, o pré-aquecimento não é necessário; quando se trata de peças espessas e/ou complexas, pode-se utilizar algum pré-aquecimento de acordo com especificação do fabricante da liga, porque a variedade de ligas é muito grande.

 

ligas de titânio

As ligas de titânio comercialmente disponíveis não requerem pré-aquecimento.

ligas de magnésio

Quando se trata de ligas de magnésio fundidas, é necessário pré-aquecer as peças a uma temperatura entre 250 e 350°C a fim de evitar trincas no metal de base.

O tratamento térmico em juntas soldadas nas ligas de cobre é necessário quando se exigem boas propriedades de ductilidade; o ciclo térmico obedece a uma subida constante e os patamares são de uma hora por polegada de espessura de depósito de solda. Para eletrodos com depósitos de E CuSn-A e E CuSn-C recomenda-se um tratamento com patamares de 480°C para obter alta ductilidade.

O cobre puro ou as ligas de cobre com pequenas adições de outros elementos têm alta condutibilidade térmica; assim, o pré-aquecimento é necessário para obter boa fusão na junta. Para espessuras menores que 3mm, e dependendo do processo de soldagem e seu calor imposto, o pré-aquecimento não é necessário; com espessuras maiores, o pré-aquecimento pode chegar à casa dos 700°C.

Bronze, bronze-alumínio, monel e latão necessitam de pré-aquecimento a aproximadamente 150°C para que se possa obter boa fusão na junta.

ligas de alumínio

A maioria das ligas de alumínio tem alta condutibilidade térmica; por essa razão, às vezes o pré- -aquecimento é necessário para obter boa fusão na junta. No caso de ligas com solução sólida, o pré-aquecimento náo deve exceder de 400°C; ligas endurecidas por precipitação não podem ir além de 150°C. Geralmente o pré-aquecimento é necessário quando as seções são muito grandes e espessas, a fim de diminuir os gradientes de temperatura e reduzir as tensões induzidas por estes gradientes.

Em ligas da classe 6XXX com têmpera T-4 e T-6, quando é preciso ter uma recuperação da resistência da ZAC, faz-se um tratamento de solubilização e envelhecimento. Em algumas oportunidades somente o envelhecimento é vantajoso, já que a solubilização pode provocar distorções e mais tensões residuais.

 

 Link Relacionado:

Soldagem – Coleção tecnológica SENAI – 1ª ed. 1997