Processos de Soldagem

Soldagem por Feixe de Elétrons

Texto traduzido por Cristiano Vieira Nascimento , aluno da FATEC-SP.

Soldagem por Feixe de Elétrons (EBW)

Adequado para soldagem de precisão de todos os metais, soldando juntamente também metais dissimilares. Posições: na prática, normalmente plana, mas, teoricamente, todas as posições.

Operação e especialidades

O cátodo de fita intercambiável (molibdênio tungstênio, tântalo) é aquecido a 2000-3000°C.

Entre o cátodo e o ânodo anelar, se forma rapidamente uma tensão de aceleração de 150kV é usada (pressão de trabalho ~ 5×10-4 Torr). Os elétrons, que são emitidos do cátodo sob estas condições, (emissões atuais de até 250 mA) são focados conicamente pelo cilindro “Wehnelt” e passa através da abertura do ânodo, que tem forma de anel.

Após a passagem pelos seguintes elementos de direção (ponto) de elementos (rolos ajustadores, tela, lente, bobina defletora) o feixe atinge o ponto de trabalho.

Uma mancha de cerca de 0,01 mm2, com uma densidade de potência de 107 W/cm2 (comparação: a densidade de potência do arco é ~ 104 W/cm2).

Arquivo: Tamanho 1,68 MB em pdf. 22 páginas e 28 figuras.

Textos relacionados:

Soldagem por feixe de elétrons – Fundamentos

Soldagem por feixe de elétrons – Parâmetros de soldagem

Soldagem por feixe de elétrons – Características do processo

Feixe de Elétrons

Clique e Baixe o Artigo: Soldagem por Feixe de Elétrons 

SHARE
RELATED POSTS
Brasagem na refrigeração – compreendendo os conceitos
União de Plástico I e II
Processo de Soldagem por Arame Tubular

Deixe seu comentário

*