Imprimir

Qualificação do processo de soldagem por resistência

Escrito por Infosolda. Posted in Processos de Soldagem

Artigo escrito pelo professor Alexandre Queiroz Bracarense, PhD da CEFET-MG.

Na soldagem por resistência, as peças a serem soldadas são pressionadas uma contra outra, por meio de eletrodos não consumíveis , fazendo passar por estes uma alta corrente, que esta ocasiona, segundo a Lei de Joule ( Q = K R I2 t ), uma quantidade de calor proporcional ao tempo, resistência elétrica e intensidade de corrente, que deverá ser suficiente para permitir que a região de contato entre as peças a serem soldadas atinja o ponto de fusão.

 

Para que possamos soldar uma peça com esse processo, é necessário verificarmos 3 fatores importantes: Aquecimento, tempo e pressão, e mantermos um equilíbrio entre eles.

Imprimir

Processo de Soldagem por Arco Submerso

Escrito por Infosolda. Posted in Processos de Soldagem

Artigo escrito pelo Prof. Luiz Gimenes do curso de Soldagem da FATEC-SP e da pós graduação em Inspeção e Automação em Soldagem do SENAI Nadir Dias de Figueiredo e por Engº José Pinto Ramalho, professor do curso de Engenharia de Soldagem da USP.

O processo de soldagem por arco submerso é um processo no qual o calor para a soldagem é fornecido por um (ou alguns) arco (s) desenvolvido (s) entre um (s) eletrodo(s) de arame sólido ou tubular e a peça obra. Como já está explícito no nome, o arco ficará protegido por uma camada de fluxo granular fundido que o protegerá, assim como o metal fundido e a poça de fusão, da contaminação atmosférica.

Como o arco elétrico fica completamente coberto pelo fluxo, este não é visível, e a solda se desenvolve sem faíscas, luminosidades ou respingos, que caracterizam os demais processos de soldagem em que o arco é aberto.

O fluxo, na forma granular, para além das funções de proteção e limpeza do arco e metal depositado, funciona como um isolante térmico, garantindo uma excelente concentração de calor que irá caracterizar a alta penetração que pode ser obtida com o processo.

O artigo traz o princípio de funcionamento, equipamentos, consumíveis e técnica do processo.

Imprimir

Soldagem ferro fundido

Escrito por Infosolda. Posted in Processos de Soldagem

Trabalho realizado pelos alunos Daniel de Freitas Bueno,Duarte Salvador Rosa, Glausson Ap. Ferreira Machado,Izaque Tavares de Oliveira, José Omar Benigno de Sales e William Apolinário Moreira, do curso Tecnologia em Soldagem da Fatec-SP.

O artigo descreve a soldabilidade dos ferros fundidos  dos tipos: ferro cinzento, ferro nodular e ferro branco ( ou coquilhado). A maior parte dos ferros fundidos são feito em ferro cinzento sendo este soldável .Ferro maleável e nodular são também soldável mas eles requerem um tratamento térmico após a soldagem para restabelecer a seu estado normal de resistência e ductilidade. Ferro fundido branco, por outro lado, esse é difícil para soldar esse é considerado geralmente como sendo não soldável .