Imprimir

União Adesiva

Escrito por Infosolda. Posted in Processos de Soldagem

1. União adesiva

União adesiva e união adesiva de metais, particularmente tem se tornado muito importante para aplicações industriais nesses últimos anos. União adesiva de metal não pode substituir a soldagem e a brasagem, mas pode ser usada como processo de união adicional ou onde, por especificações, outros processos (exemplos: soldagem por fricção, conexões de ajusto fino) não podem serem usados. A união adesiva é recomendada onde se encontra fabricação e custos específicos.

Imprimir

Soldagem Plasma

Escrito por Infosolda. Posted in Processos de Soldagem

Texto traduzido por Julio C. R. Moura, aluno da Fatec-SP

Usualmente a definição de plasma é tida como sendo o quarto estado da matéria. Costuma-se pensar normalmente em três estados da matéria sendo eles o sólido, líquido e gasoso. 

Considerando o elemento mais conhecido, a água, existem três estados, sendo o gelo, água e vapor.

A diferença básica entre estes três estados é o nível de energia em que eles se encontram. Se adicionarmos energia sob forma de calor ao gelo, este transformar-se-á em água, que sendo submetida a mais calor, vaporizará. 

Porém se adicionar-mos mais energia, algumas de suas propriedades são modificadas substancialmente tais como a temperatura e características elétricas.

Este processo é chamado de ionização, ou seja a criação de elétrons livres e íons entre os átomos do gás.

Processos a arco plasma são empregados para soldar, cortar e fazer revestimentos (com pós metálicos ou cerâmicos).

Imprimir

Soldagem por Feixe de Elétrons

Escrito por Infosolda. Posted in Processos de Soldagem

Texto traduzido por Cristiano Vieira Nascimento , aluno da FATEC-SP.

Soldagem por Feixe de Elétrons (EBW)

Adequado para soldagem de precisão de todos os metais, soldando juntamente também metais dissimilares. Posições: na prática, normalmente plana, mas, teoricamente, todas as posições.

Operação e especialidades

O cátodo de fita intercambiável (molibdênio tungstênio, tântalo) é aquecido a 2000-3000°C.

Entre o cátodo e o ânodo anelar, se forma rapidamente uma tensão de aceleração de 150kV é usada (pressão de trabalho ~ 5x10-4 Torr). Os elétrons, que são emitidos do cátodo sob estas condições, (emissões atuais de até 250 mA) são focados conicamente pelo cilindro “Wehnelt” e passa através da abertura do ânodo, que tem forma de anel.

Após a passagem pelos seguintes elementos de direção (ponto) de elementos (rolos ajustadores, tela, lente, bobina defletora) o feixe atinge o ponto de trabalho.

Uma mancha de cerca de 0,01 mm2, com uma densidade de potência de 107 W/cm2 (comparação: a densidade de potência do arco é ~ 104 W/cm2).

Imprimir

Soldagem a Arco Elétrico Manual V

Escrito por Infosolda. Posted in Processos de Soldagem

Texto traduzido por Elaine Aparecida Borges Silva aluna da FATEC-SP.

Funções dos revestimentos dos eletrodos:

1) Melhorar a condutibilidade do arco:

a) auxilia a ignição;

b) melhora as características da solda.

2) Para formar uma escória, a qual:

a) influencia o tamanho das gotículas e o metal de solda contra as influências da atmosfera;

b) protege a transformação das gotas e depósito de solda contra as influências nocivas da atmosfera;

c) forma o cordão de reforço;

d) previne contra o resfriamento muito rápido.