Imprimir

MIG/MAG (3)

Escrito por Infosolda. Posted in Processos de Soldagem

 

Artigo traduzido por Alexandre de Freitas, Alexandre Marques de Lima, Alfredo Feitosa e Everaldo Sena de moura, alunos da FATEC-SP.

1.  Soldagem com metais de deposição e consumíveis, conforme DIN/EN - regras

1.1Introdução |Geral

Materiais de deposição e consumíveis de soldagem tem correspondência respeitando condições, como dimensão, marcação e características de regras e normas DIN/EM.     

Por exemplo, as varetas de eletrodos revestido, devem corresponder a uma relativa centralidade conforme regras e padrões, bem como a qualidade da bobina de arame de matais de deposição.

Imprimir

MIG/MAG (4)

Escrito por Infosolda. Posted in Processos de Soldagem

 

Artigo traduzido por Alexandre de Freitas, Alexandre Marques de Lima, Alfredo Feitosa e Everaldo Sena de moura, alunos da FATEC-SP.

MIG/MAG – COMPARAÇÃO DA SOLDAGEM PULSADA COM A CONVENCIONAL

Vantagens da soldagem com arco pulsada

- Melhor adaptação dos parâmetros de soldagem

- A energia pode ser menor 

- Menor contração

- Solda peças finas com arame de maior diâmetro

- Menos respingos de solda e melhor desempenho

- Maior segurança na solda contra a formação de poros

- Também é possível soldar filetes côncavos em tiras finas 

Desvantagens da soldagem pulsada

- O equipamento é mais caro

- Os respectivos ajustes dos parâmetros do arco pulsado são mais complexos (Arco sinérgico)

- Pode ser usado apenas argônio misturado com máximo 18% CO2

Imprimir

Brasagem e Soldabrasagem

Escrito por treinasolda. Posted in Processos de Soldagem

Leia o artigo técnico traduzido pelo aluno da Fatec-SP Ian Januska

Definição (Segundo norma DIN 8550)

Solda branda e brasagem são técnicas utilizadas para unir componentes através do uso de um agente de ligação que tem um ponto de fusão menor que o  metal de base.

A fase líquida também pode existir através do efeito da difusão e das reações metalúrgicas na superfície dos dois componentes, a temperatura de processo deve estar abaixo da temperatura solídus dos componentes.

A temperatura de trabalho é a temperatura que deve ser obtida na junta a fim de possibilitar que o metal de adição (agente de ligação) a molhar a superfície metálica a ser unida.

O mecanismo de ligação origina-se do efeito de difusão e da existência de fases metálicas.