Imprimir

Soldagem ao gás tungstênio

Escrito por treinasolda. Posted in Processos de Soldagem

Texto traduzido pelo Aluno da FATEC-SP Flávio Augusto Budaes

Modo de operação: um arco é estabelecido entre a ponta de um elétrodo de tungstênio e o metal de base na linha de centro da junta. O elétrodo não é consumível e o soldador possui a abertura de arco constante. A corrente elétrica é controlada por uma fonte de energia. Um metal de adição, normalmente disponível em comprimentos de 1 m de arame, quando necessário pode ser adicionado nas cercanias da poça de fusão. A poça de fusão é protegida por um gás inerte que substitui o ar na atmosfera do arco. O argônio e o hélio são os gases de proteção mais comuns usados.

Aplicações típicas: Solda de alta qualidade em metais como alumínio, aço inoxidável, ligas níquel - cromo e cobre em fábricas químicas; trabalho em turbina de avião e estruturas; Principalmente superfícies finas. 

Imprimir

Soldagem Oxi-Combutível II

Escrito por treinasolda. Posted in Processos de Soldagem

Leia o artigo técnico traduzido pelos alunos da Fatec-SP: Adriano de Oliveira e Cleyson Roberto B. D. da Silva 

1. Organização da técnica oxiacetilênica de acordo DIN 8522

A técnica oxiacetilênica inclui todos os processos de fabricação que utilizam uma chama gerada por uma mistura de gás combustível / ar, gás combustível / pressão de ar ou gás combustível / oxigênio para o processo (principalmente metal).

Há uma grande quantidade de áreas operacionais e possibilidades de utilização da técnica oxiacetilênica. O panorama geral da figura 1, divide a técnica oxiacetilênica nos seguintes grupos principais:

Imprimir

Soldagem ao gás tungstênio II

Escrito por treinasolda. Posted in Processos de Soldagem

 

Modo de operação – conceito geral

O processo de soldagem TIG (gás inerte tungstênio) é uma soldagem realizada com um eletrodo de tungstênio não consumível. O metal de adição é fornecido manualmente de um modo semelhante à soldagem oxiacetilênica. A função do revestimento do eletrodo no processo Eletrodo Revestido ou a chama conjunta no processo Oxiacetilênico é proteger totalmente a possa de fusão do ar atmosférico. Esta tarefa é realizada no TIG pelos gases inertes, argônio, hélio ou misturas de argônio/hélio. No caso da soldagem ao ar livre ou em ambientes fechados o local de soldagem deve ser protegido do vento para que os gases de proteção não sejam arrastados. A taxa de fluxo de gás inerte fornecida depende do tamanho do bocal e da maneira de soldar. Ela está entre 5 e 10 I/min., e não deve ser elevado sem nenhuma precaução, para manter a realização da proteção.