Imprimir

Soldagem dos aços martensíticos

Escrito por Infosolda. Posted in Metalurgia

Artigo escrito por Annelise Zeemann, Engenharia Mecânica, D. Sc. Em Eng. Metalúrgica e de materiais no PEMM – COPPE/UFRJ, e Diretora Técnica da TECMETAL, que atua em análise de materiais e consultoria em engenharia mecânica e metalúrgica.

O artigo responde oito dúvidas referentes a soldagem dos aços martensíticos: 

  • O que são os aços martensíticos?
  • Como é o tratamento de têmpera e revenimento, e o que ocorre a nível microestrutural?
  • Todos os aços martensíticos são temperados e revenidos?
  • O que significa um material com alto limite elástico?
  • Esta propriedade (elevada relação LE/LR) pode atrapalhar durante a soldagem?
  • Porque nem sempre os aços martensíticos apresentam elevada dureza?
  • Parece que o teor de carbono influência na soldabilidade, é verdade?
  • Existe algum procedimento de soldagem padrão para aços martensíticos?
Imprimir

Tratamento térmico em juntas soldadas

Escrito por Infosolda. Posted in Metalurgia

Artigo escrito pelo Prof. Luiz Gimenes do curso de Soldagem da FATEC-SP e da pós graduação em Inspeção e Automação em Soldagem do SENAI Nadir Dias de Figueiredo.

O Tratamento Térmico em metais é o conjunto de operações envolvendo aquecimento, tempo de permanência em determinadas temperaturas e resfriamento sob condições controladas, com o objetivo de melhorar as suas propriedades ou conferir-lhes características pré - determinadas.

Os principais tratamentos térmicos são:

  • Recozimento;
  • Normalização;
  • Têmpera;
  • Revenimento;
  • Solubilização;
  • Alivio de Tensões;
  • Pré-aquecimento;
  • Pós-aquecimento.
Imprimir

Corrosão em juntas soldadas

Escrito por Infosolda. Posted in Metalurgia

Artigo escrito por Annelise Zeemann, Engenharia Mecânica, D. Sc. Em Eng. Metalúrgica e de materiais no PEMM – COPPE/UFRJ, e Diretora Técnica da TECMETAL, que atua em análise de materiais e consultoria em engenharia mecânica e metalúrgica.

Artigo responde 8 perguntas sobre corrosão em juntas soldadas:

  • O que é corrosão?
  • Quais são os principais tipos de meios que favorecem a corrosão?
  • Como um material metálico se comporta quando em contato com meio aquoso?
  • Como se pode classificar resumidamente os processos corrosivos?
  • Quais os principais efeitos que levam à corrosão localizada?
  • Porque as juntas soldadas são regiões de corrosão preferencial?
  • Quais os cuidados que se deve tomar ao selecionar e qualificador o procedimento de soldagem?
Imprimir

Fissuração a quente

Escrito por Infosolda. Posted in Metalurgia

Artigo escrito por Claudio L. Jacintho da Silva aluno da UENF, orientado pelo prof. PhD Ronaldo Paranhos.

As trincas a quente podem ser de escala microscópica, e não são detectadas pelas técnicas convencionais de inspeção, ou na maioria dos caos, em escala macroscópica  que apesar de desenvolver o mesmo mecanismo da fissuração microscópica,atingem dimensões muito maiores, constituindo-se em defeitos de solda pois comprometem sua qualidade.

 Veja os fatores que podem influenciar a formação de trincas a quente:

  • Segregação
  • Altas velocidades de soldagem
  • Tensões de soldagem
  • Espessura da chapa
  • Juntas Caracterizadas por alto grau de restrição