Imprimir

Fissuração pelo Hidrogênio - Trincas a frio

Escrito por Infosolda. Posted in Metalurgia

As trincas são um dos tipos mais graves de descontinuidades em uma junta soldada, por serem fortes concentradores de tensões.

O artigo demonstra como é o mecanismo de formação e como evitar as Trincas a Frio. E ainda explana de maneira geral as Trincas a Quente.

Imprimir

Fundamentos da Metalurgia da Soldagem

Escrito por Infosolda. Posted in Metalurgia

A soldagem causa alterações localizadas e bruscas de temperatura no material sendo soldado. 

Estas alterações, podem provocar mudanças estruturais e, consequentemente, nas propriedades do material. Degradação nas propriedades, com implicações na futura utilização da peça soldada.

A Metalurgia da Soldagem, consiste em estudar o efeito da operação de soldagem sobre a estrutura e propriedades dos materiais para: Obter informações que auxiliem no desenvolvimento de novos materiais menos sensíveis à soldagem. Determinar os parâmetros operacionais de soldagem de maior influência nas alterações da estrutura e propriedades do material. Desenvolver operações complementares, para minimizar a degradação de propriedades, ou para reverter esta degradação.

Devido a estes fatores a metalurgia se torna objeto de estudo importante para nós técnicostecnólogos e engenheiros da área da soldagem. 

Imprimir

Energia de Soldagem

Escrito por Infosolda. Posted in Metalurgia

Artigo escrito por Annelise Zeemann, Engenharia Mecânica, D. Sc. Em Eng. Metalúrgica e de materiais no PEMM – COPPE/UFRJ, e Diretora Técnica da TECMETAL, que atua em análise de materiais e consultoria em engenharia mecânica e metalúrgica. 

Um parâmetro de grande importância metalúrgica é a ENERGIA DE SOLDAGEM pois, juntamente com as características geométricas da junta e com o nível de pré-aquecimento, é determinante nos ciclos térmicos impostos ao material e portanto nas possíveis transformações microestruturais e no comportamento da junta. Seguem alguns comentários sobre a energia de soldagem para quem se interessa por metalurgia. 

A quantidade de calor adicionada a um material, por unidade de comprimento linear, é o que se chama energia de soldagem, ou aporte de calor, ou aporte térmico, ou mesmo "heat input", geralmente representada pelas letras E ou H e cuja unidade usual é em kJ/mm, sendo também apresentada em kJ/cm ou J/mm.

Imprimir

Soldagem dos Aços Austeníticos

Escrito por Infosolda. Posted in Metalurgia

Artigo escrito por Annelise Zeemann, Engenharia Mecânica, D. Sc. Em Eng. Metalúrgica e de materiais no PEMM – COPPE/UFRJ, e Diretora Técnica da TECMETAL, que atua em análise de materiais e consultoria em engenharia mecânica e metalúrgica.

Para estabilizar a microestrutura austenítica na temperatura ambiente é sempre necessária uma grande quantidade de elementos de liga, conhecidos como gamagenos, o que faz com que necessariamente os aços austeníticos sejam de alta liga, utilizados em aplicações especiais de resistência à corrosão, resistência às temperaturas extremas (ao calor ou ao frio) ou resistência ao desgaste, cujas propriedades específicas podem ser deterioradas pela soldagem caso não seja utilizado um procedimento adequado. Este artigo procura alertar para os cuidados gerais na soldagem dos aços austeníticos, considerando a aplicação a que se destinam.

São ligas ferrosas que apresentam microestrutura predominantemente austenítica, estabilizada pela grande quantidade de elementos de liga gamagenos, que são principalmente o níquel, o manganês, o nitrogênio e o carbono, sendo que em ligas resistentes à corrosão e em ligas resistentes às temperaturas extremas o principal papel do carbono não é o de estabilizar a austenita, e sim o de garantir a resistência mecânica.